Blog & News

Fala aí, Levir Culpi!

Levir Culpi, um dos maiores nomes do futebol paranaense e brasileiro falou exclusivamente com a Copa Caio Júnior.

Como treinador são mais de 30 anos e 1500 jogos. Mais de 20 títulos durante a carreira, equipes marcantes e um carisma excepcional.

Como jogador, equipes como Coritiba, Botafogo, Atlante (MEX) e até Seleção Brasileira.

Durante seus 30 anos à beira dos gramados, muitos jogadores começaram a escrever suas histórias sendo comandados por Levir.
Alguns deles são:
- Beletti em 1996 pelo Cruzeiro (20 anos)
- Julio Baptista em 2000 pelo São Paulo (19 anos)
- Nenê em 2002 pelo Palmeiras (21 anos)
- Fernandinho em 2004 pelo Athletico Paranaense (19 anos)

Além do sucesso no futebol, Levir também escreveu um livro “Um burro com sorte” e é dono de dois restaurantes em Curitiba, PR.

Confira abaixo a entrevista com o treinador...

1. Levir, você é um treinador que fez muita história no Brasil e no Japão. Qual fator você acredita ter sido crucial para o seu sucesso?

- Sorte.

2. Qual foi o momento mais marcante da sua carreira como treinador?

- Quando fui bi campeão mundial sub-20 pelo Brasil, em Cannes, França. (1972) Levir foi o capitão da Seleção Brasileira.

3. Todos os atletas passam pelo futebol de base antes de se tornarem profissionais. Na sua opinião qual é a importância da base para um atleta de 15 anos?

- É fundamental o desempenho físico, técnico e psicológico.

4. Nesta idade (15 anos) os atletas já tem uma boa noção de fundamentos, parte física e tática. Na sua opinião, qual delas você considera mais importante para o desenvolvimento destes futuros profissionais ?

- Nesta faixa de idade acho que o prazer pelo futebol.

5. Como é trabalhar com meninos que recém subiram para o profissional? O que você como treinador espera deles, e como tenta ajudá-los?

- Gosto de trabalhar com eles, e aconselho a todos que não abandonem os estudos.

6. Você era amigo próximo de Caio Júnior, a inspiração do nosso torneio. Existe algum momento especial, ou algo que tenha te marcado durante estes anos de amizade com o Caio?

- Um encontro em Osaka no Japão, onde trabalhamos como técnicos. Ele era o técnico do Vissel Kobe e eu do Cerezo Osaka. Jantamos com as esposas e rimos muito!!!

7. Quem é a sua referência no futebol?

- Marília minha mulher! Sem ela não chegaria tão longe.